sexta-feira, 5 de abril de 2013

899 - Soneto do humor do mal

Aaaaaaaaaaah, eu quero meu direito de ser um idiota preconceituoso e sem noção em paz!  

O cara vai pro Twitter, xinga preto
De macaco, ofende e estereotipa,
Diz fazer humor, mas desce a ripa
E se titula “politicamente incorreto”
,
“Humor inteligente bagunça o coreto”
Ele explica. Mais, palpita e participa
Da opinião publica e, assim, emancipa
Uma parcela cujo esporte predileto

É destilar preconceito como piada,
O negro ladrão, a bicha tresloucada.
“E a minha liberdade de expressão?”

Ele pergunta como se fosse afligido.
Sua liberdade perde todo o sentido
Se seu chiste vira gratuita agressão!

Francisco Libânio,
05/04/13, 2:44 PM
Postar um comentário