sábado, 13 de abril de 2013

936 - Soneto beijado

Eu adoraria uma assim pra passar o dia do beijo.

É dia do beijo. E beijo tem dia?
Soa estranho, mas o calendário
Dedica um a esse tão ordinário
Carinho. Eu é que nem o sabia.

Mas já que tem, com a alegria
De quem o dá sempre e diário,
Beije e beije sem ter um horário,
Uma razão, um lugar, uma valia.

Beije, mas só beije consentido,
E se não vir no soneto sentido,
É de direito. Dirá que é só ócio.

E se ao lê-lo concordar comigo,
Muito humildemente, aqui digo:
Estou no mercado para negócio.

Francisco Libânio,
13/04/13, 12:43 PM
Postar um comentário