segunda-feira, 22 de abril de 2013

977 - Soneto direitamente humano

Não adianta nem resolve nada...

Pedir trato humano e dignidade
Para qualquer um, seja de bem,
Cidadão, branco como também
Para aquele a quem a liberdade

Foi privada ou pela criminalidade
Ou pela guerra, para quem a tem.
Já que Direitos Humanos vai além
Do delito, do dolo e da maldade,

Mas não chegam os tais à seara
Da regalia, engodo que mascara
O Direito Humano a quem ignora

O que é um e outra, e mais prega
A porrada na cadeia e muito alega
Que bandido deve que ir embora.

Francisco Libânio,
22/04/13, 1:41 PM
Postar um comentário