quinta-feira, 18 de abril de 2013

959 - Soneto do abraço de ursa

Eu quero!

Se houver coisa melhor que abraço,
Que me contem e me deem prova.
Não que o prazer tido numa alcova
Seja ruim, Tendo chance eu o faço,

Mas o abraço. Ele é o melhor laço.
Antes e depois do sexo, a trova
Que abre o romance e o aprova
Uma guerra do bem pelo espaço

Do outro. Ocupação consentida.
E se for um de uma bem fornida
Dama, robusta, de plano o quero.

Ele é como o de urso, agressivo,
Envolvente, mas amo este crivo
De mãos no qual me regenero.

Francisco Libânio,
18/04/13, 10:25 AM
Postar um comentário