sexta-feira, 29 de maio de 2009

Da humildade


Extraído de http://www.theword4vj.com/Our-Humble-God%5B1%5D.jpg

Não te meças mais alto do que és
Nem te acanhes diante do teu potencial.
Os humildes têm o tamanho exato e igual
Do teto da cabeça ao piso dos pés.

Francisco Libânio,
19/04/09, 11:40 PM

quinta-feira, 28 de maio de 2009

29 - Explicou-me tantas coisas sobre amor e sobre paixão


Extraído de http://www.newinspirationalmovement.org/blog/wp-content/uploads/2008/01/desiringlr.jpg

Explicou-me tantas coisas sobre amor e sobre paixão,
Dissertou sobre os homens que passaram por sua vida,
Disse o quanto foi amada, contou o quão era querida
Para depois de um silêncio vago concluir “Foi ilusão!”

Porque o amor que vivera era como uma peça repetida,
Mesmos roteiros, mesmos cenários, mesma figuração,
Mas os atores eram diferentes. Vez ou outra uma repetição
Do homem que fazia Romeu ou Ulisses era permitida.

Às vezes, parecia, mesmo, mais teatro que envolvimento.
Tantos amores e tão pouca vida tinha para tal trânsito
Que como se fiar quando ela disse “És tu meu primeiro!”?

Dei-lhe um abraço amigo, de mim o mais verdadeiro,
Disse que a queria bem, mas que para este contradito
Amor cheio de atores e de cenas eu não tinha talento.

Francisco Libânio,
28/05/09, 10:36 AM

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Da Consciência


Extraído de http://m261.photobucket.com/image/Consci%25C3%25AAncia/janaoseioqueescolher/consciencia.jpg.html?src=www

É ela quem nos serve de promotora
Dando-nos a chance de um retorno
Num erro iminente, muito embora
Às vezes seja fácil a um suborno.

Francisco Libânio,
16/04/09, 12:07 AM

terça-feira, 26 de maio de 2009

Preta


Extraído de http://63.img.v4.skyrock.net/63a/nubiennes/pics/531459372_small.jpg

O negrume era o destaque no conjunto
E era alva uma luz naquela mata escura,
Luz que trazia pra si e instigava a procura
Do que mais houvesse, mas se fosse junto.

Era como se a luz beijasse o explorador,
Que, saciado por ela, seguia esta trilha
Quente e negra enquanto o odor de baunilha
Do chão completasse a vista. O sabor

Era sentido e era real. Diante da pujança
Da paisagem, no primeiro regato se deitava
Olhando ao alto a luz que também olhava.

O explorador era eu, deitado em teu colo
De pele preta, e a luz que irradiava tal solo
Era teu sorriso a guardar minha andança.

Francisco Libânio,
26/05/09, 11:07 AM

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Série Nomes - Bianca


Extraído de http://www.digitalphoto.pl/foto_galeria/4358_2008-1758_b.jpg

A morenice daqueles negros cabelos
No dia-a-dia do escritório era despercebida
Era uma das atendentes. Presta e polida
Com os clientes a informá-los e atendê-los

Tinha uma outra moça, qual uma adida,
Também presta. Mas aquela lá... Pelos
Pelos tons negros da cabeleira (eles eram belos)
Chamou a atenção em meio a sua lida

O uniforme escondia-lhe outros atributos,
Mas permitia que se apresentasse o cartão
De visitas e as primeiras credenciais

Aquela negrice de mais de mil lutos
Com sua pele alva e o sorriso: Combinação
Certa pra apaixonar e não esquecer mais.

Francisco Libânio,
24/03/09, 9:50 PM

quinta-feira, 21 de maio de 2009

A quem ler este soneto


Extraído de http://samacc.files.wordpress.com/2008/05/olhos.jpg

A quem ler este soneto, faça o favor
Decore cada verso que aqui for lido
Com a memória que eu não tenho tido
E - se possível for - com mais amor

A quem ler este soneto, se apaixonado for,
Dizê-lo a quem se ama fica permitido
Quantas vezes quiser. Só está proibido
Usa-lo com a intenção de causar uma dor

(Amar sem amor é por demais perigoso)
Pois quem ler este soneto certamente ama
Um outro alguém por quem muito clama

E ouvir um poeminha de amor é delicioso
Na hora do beijo apaixonado que se dá
Ouvir e gostar é querer um outro e já!

Francisco Libânio
12/08/02, 9:48 PM

quarta-feira, 20 de maio de 2009

In Memória


Extraído de http://api.ning.com/files/anokpcuc9DuXO8PSoETKhKwv6SeDfzT-Imfvy*dXuEfYHjRIu5JJzVj02Ui3p-2PIOu7XJ7g3ImLlDSU0YRBujjmRRd1Sn2u/paixC3A3o1PAIXO.jpg


De todas as vezes
Que eu te jurei amor
Esquece a primeira
Cancela a segunda
Pois já na terceira
Não teve mentira maior
Depois pega todas as outras
E deleta da tua vida
Fica só com uma
Que foi a última vez
Justamente a hora
Quando você foi embora
E nunca mais voltou

Francisco Libânio
10/11/01, 10:30 AM

terça-feira, 19 de maio de 2009

Mistura



Há algo muito melhor do que a tua presença,
Com mais sabor que teu beijo tão delicioso
E transforma entre nós em muito mais intensa
Nossa convivência e mais intenso nosso gozo.

É a mistura de nossos tons num formoso
Jogo onde divisam cores e se condensa
Uma e se atenua outra num maravilhoso
Prisma que iguala numa linda parecença

Nossas peles diferentes e complementares,
Necessárias para que a outra exista plena
E que se combinam numa exatidão mansa.

E por essa mistura peço que não te separes
De mim nem me afastes da pele que oxigena
A minha e onde meu corpo tão bem descansa.

Francisco Libânio
19/05/09, 1:10 PM

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Série Nomes - Jurema


Extraído de http://www.msnoticias.com.br/fotos/Beleza%20indigena.jpg

Aquela beleza da terra, tão faceira,
Mesmo sendo ela filha da cidade,
Longe do verde, era uma mocidade
Tão encantadora que era a primeira

A ser notada na rua. Tão a vontade
Andava, livre, roupa costumeira
De dia a dia, naturalidade brasileira,
Parecia demais uma índia de verdade

A desfilar pelas matas, corpo ao léu,
Parte da natureza, flor da floresta,
A própria moça do famoso romance

E eu a vendo, queria tanto a chance
De provar o beijo e esbaldar na festa
Doces daqueles tais lábios de mel.

Francisco Libânio,
15/04/09, 12:29 AM

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Da evolução


Extraído de http://www.sliceofscifi.com/wp-content/uploads/2008/02/nc_evolution_080103_ms.jpg

Há quem diga que nossa origem
Está nos primatas lá perto do céu,
Arbícolas. Não acredito no que dizem.
Eles não teriam um futuro tão cruel

Francisco Libânio,
12/04/09, 11: 16 AM

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Sére Nomes - Heloísa


Extraído de http://3.bp.blogspot.com/_bwsIaPH9tAQ/SNmEje6GxEI/AAAAAAAABfo/drVziY82YZ8/s320/corredora.jpg

Ela corria pelo parque, era uma atleta!
Esbelta, morena, esguia, corpo suado
Em que o sol se refletia. Ficava cansado
Vendo-a correr inteira a volta completa

Pelo parque enquanto eu quedava sentado
Recusando correr com ela. Eis que se aquieta
À minha frente a moça e se alongava ereta
(Uma escultura) até que sentou ao meu lado

Abraçou-me e fez uma qualquer brincadeira,
Deitou-se em meu colo e disse o quão macia
Era minha barriga e que dali não sairia mais.

Pensei “Descansa, minha atleta! a cabeceira
Do teu repouso está aqui. Depois me agracia
Tu com o calor que teu corpo quente me traz”.

Francisco Libânio
14/04/09,12:13 PM

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Série Nomes - Marcela


Extraído de http://www.oliversart.co.uk/acatalog/images/jpgs-lrg/colin_carter/010_The_First_Of_Many.jpg

Foi depois do beijo que começou nosso amor
E depois do outro ele se confirmou. O intervalo
Entre os beijos vivemos uma paz e um abalo,
Um beijo e uma mordida, uma carícia e uma dor

Entre um beijo e outro há uma calma e um estalo
Na calma eu sentia e sorvia todo aquele sabor
E no primeiro estalo, senti que ela era o divisor
Entre a paixão e o amor. E então fui buscá-lo

No segundo, no terceiro e entre suas calmas
Achando-o aos poucos fechando-o na palma
Da mão que me acariciava a cabeça apaixonada

Após o último beijo, ela era apenas atenção,
Éramos atenção um ao outro, a consagração
Da nossa deliciosa ligação entre beijos gerada

Francisco Libânio
30/03/09, 11:53 PM

terça-feira, 12 de maio de 2009

Da Criação


Extraído de http://www.historiasbiblicas.advir.com/desenhoslicaovt/galeria%20de%20desenhos%20VT/criacao/criacaodohomem.jpg

Quando expulsou o casal do Paraíso
E julgou o fratricídio e as rebeldias,
Deus lamentou: Para o homem era preciso
Gastar mais de sete dias.

Francisco Libânio,
05/04/09, 1:10 AM

segunda-feira, 11 de maio de 2009

01 - 06-04-09 - Assim como o tempo não era seu amigo


Extraído de http://1.bp.blogspot.com/_z1a-H1TuIy8/RzfDPOkDaVI/AAAAAAAAAEA/6xV8wPMpyJQ/s320/1.jpg

Assim como o tempo não era seu amigo,
Também não era a sábia perseverança.
Esta o abandonara se queria confiança,
Aquele arrastava os despojos consigo

Tinha fé em tudo. Só lhe faltava aquela
Imprescindível para se ser todo crente:
A fé em si, aquela que lhe faria potente,
Mas justamente esta fé... Quão difícil era tê-la

Viveu assim pelos dias abandonado
E sem conceber esta filha necessária
Para o amparo de todos os seus dias

Um dia o tempo teve com o malogrado
Levando-o de sua luta árdua e diária
Legando a fé contra existências vazias.

Francisco Libânio,
06/04/09, 7:03 PM

domingo, 10 de maio de 2009

Série Pecados - A Inveja


Extraído de http://i112.photobucket.com/albums/n166/lelecoeanjinha/mespinvejaabrer2nf.jpg

Tudo o que dos outros for não queira ter também.
Se for pra ser teu será. Se não, não mudarás em nada,
Nem serás menos que outrem. O que tem cada
Um na vida bem podem os outros viver sem.

Por querer ter do alheio a coisa que era desejada
Ou não tendo o dom que tinha por marcante alguém
Desejou tanto ter como se pudesse tirar de quem tem
Que se esqueceu da inestimável herança a si dada

E todas suas virtudes foram comidas pelas pragas
Por ele mesmo criadas e o que tinha lhe foi roubado
Por almejar o do outro sem com o seu ter cuidado

Chegou ao fim miserável, esquecido e com chagas
No corpo e com mil vezes mais feridas no espírito
Como um réquiem que pelo seu pecado foi escrito.

Francisco Libânio,
10/05/09, 12:16 PM

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Série Nomes - Mônica


Extraído de http://2.bp.blogspot.com/_Aa4ZdY0i7Ag/SWDZKL6H23I/AAAAAAAAAn0/Xe8h1xrDQCk/s320/Mulher+no+len%C3%A7ol+na+cama.bmp

O que não vi era o que queria ter visto,
Onde não toquei eu queria ter tocado
Não com o desejo vulgar e malquisto,
Mas queria, além de tudo, ter te amado

Queria de ti a inocência do imprevisto
De ver de escapadela e ficar corado,
Pedir desculpa, te cobrir e com isto
Poder me achegar de ti, estar ao teu lado,

Escondendo as formas como manda o pudor,
E sentir teu perfume dando ao olfato o olor
Como a vista teve de tua figura o presente

O teu amor, se num beijo, me faria feliz,
Tua boca me regalaria dando o que eu quis
E o que te cobria cobriria depois a gente.

Francisco Libânio,
28/03/09, 12:16 AM

quinta-feira, 7 de maio de 2009

24 - Ela me disse àquela noite duas frases


Extraído de http://1.bp.blogspot.com/_ONY2ZHHBxvs/SdOWU0RQIvI/AAAAAAAAADM/XHLAl782__o/s400/despedida.jpg

Ela me disse àquela noite duas frases
Uma era “Não te quero nunca mais”,
A outra curta e doída “Deixa-me em paz”
E deu a falar de outros homens. Rapazes

Conhecidos nossos, alguns próximos demais.
Queria ela saber se eram eles capazes
De dar ao amor por ela sonhado fortes bases.
Saímos. Ela na frente, eu passos atrás.

Virou-se para mim e eis que minha vida,
A vida a quem lhe entreguei confiante
Para cuidar como sua e mais adiante

Eu lhe daria inteira, tornou-se escura
E fria já que depois das frases por pura
Maldade, deu-me um beijo de despedida.

Francisco Libânio,
03/04/09, 12:24 AM

terça-feira, 5 de maio de 2009

Série Nomes - Anastasia


Extraído de http://m236.photobucket.com/image/blonde%20anastasia/wael0795001474/sexy%20girls/blonde.jpg.html?src=www

Era uma deusa russa. Loura e branca
Como a neve dos Urais ascendentes
Seus cabelos amarelos e reluzentes
E seu corpo esguio de beleza franca

Tiravam de mim elogios tão eloqüentes.
Ela não me entendia, mas eis que desanca
A palavra um gesto. Surgia-lhe a anca
Ao cair da saia e os seios sorridentes

E livres do jugo da blusa que oprimia
Comprimiam-me o corpo prisioneiro
Que mais prisão a ela e a eles pedia

Amamos. E então não havia alguma trava
Entre nós. Nosso querer vinha primeiro
E depois vinha o idioma que ali se falava.

Francisco Libânio,
23/03/09, 7:25 PM

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Dos mistérios


Campos de Mistério - Muralha, de Henrique Coutinho. Extraído de http://2.bp.blogspot.com/_DyReJ8hRNfo/SAjlPwRYCjI/AAAAAAAAAHU/9loAgL97HxU/s400/Campos-de-Mist%C3%A9rios-Muralha.jpg

E se fossem as perguntas respondidas
Todas, todas sem sobrar uma sequer,
Com todas as questões resolvidas,
Sem enigmas qual seria a emoção de viver?

Francisco Libânio,
10/04/09, 11:50 PM

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Primeiro de Maio


Extraído de http://m75.photobucket.com/image/1%2525C2%2525BA%20de%20maio/improvisos2/Work-1deMaio.jpg.html?src=www


Desfruta do teu dia, trabalhador. É teu o feriado.
Passa com a família que de ti depende. Goza
Teu descanso de forma plena com tua esposa,
Companheira de vida, de cama e no proletariado

Convive com teus filhos a infância doce e viçosa
Qual a tua não fosse ela abreviada pelo celerado
Instante em que teu pouco sonho foi de ti levado
Pela necessidade da vida que foi logo imperiosa

Faz da tua família uma família ao menos um dia,
Juntos sem preocupações, sem toda a pressão
Que te oprime e te rouba a vida sem se lamentar

Aproveita o primeiro de maio com a devida alegria,
Dia sem fábrica, sem chefe e sem exploração,
E pede pra que amanhã ainda seja teu o teu lugar.

Francisco Libânio,
01/05/09, 11:06 PM