domingo, 21 de abril de 2013

972 - Soneto para Silvério

Tinha que abrir a boca. merecia uma surra!

Assim momo Jesus foi traído,
Tiradentes teve seu alcaguete,
Talvez a fim de algum confete
Ou de dinheiro, o tal vendido.

Silvério foi o Judas seduzido
De Vila Rica? Quanto o frete
Pra entregar? Virou é joguete
Dos poderosos ou o bandido

Segundo quem quis liberdade.
Se caso esse papel o agrade,
O Silvério descansa satisfeito.

Mas se na Páscoa um Judas
Apanha, as veias linguarudas
De Silvério mereciam um jeito.

Francisco Libânio,
21/04/13, 11:10 AM
Postar um comentário