sexta-feira, 19 de abril de 2013

964- Soneto indiado

Parabéns pelo quê?

Moleque pinta a cara na escola,
Festeja o Dia do Índio de cocar,
Um arco e flecha a incrementar
E uns penachos juntos à cola.

Cresce assim e vira rapazola,
O índio, pra ele, fica no lugar
Da escolinha, pra se recordar
E agora não dá a menor bola.

Índio é vagabundo e atrasado,
Vive na selva e vive amparado
Pelos impostos, o seu afogo.

E ainda acha que tem direito.
Pra ele, índio só tem um jeito:
Viu um na rua? Ateia-lhe fogo!

Francisco Libânio,
19/04/13, 10:44 AM

Postar um comentário