segunda-feira, 8 de abril de 2013

910 - Soneto de papo furado

Aham, aham... aham... Ok. já deu seu tempo. Tchau!

Ele encontra aquela gata na balada,
Quer comê-la, mas, diz, se apaixona.
Pudera! A mulher é mesmo bonitona
E deixaria sua galera embasbacada.

Aborda a moça e manda a cantada.
Ela ali bebendo, pode ser a carona
Perfeita pra trazer o interesse à tona
E fazer dessa noite melhor acabada.

Joga um papo, um caô vagabundo,
Fala empostado e parece profundo
E a deusa lá, silenciosa, ela só saca

Cada frase do Don Juan de esquina.
Ao falar, ela manda o não e fulmina
O vampirão tarado com essa estaca.

Francisco Libânio,
08/04/13, 9:06 AM
Postar um comentário