terça-feira, 23 de abril de 2013

980 - Soneto guerreiro

É dos meus.

Há quem no dia de hoje recorra
A mim numa pútrida lembrança
E numa lógica que não alcança
Nada lógico. E nessa pachorra,

Viro São Jorge. Isso bem jorra
Histórias do mulherio de pança
Que curti e chamei para dança;
Namorei ou tive qualquer zorra.

Tenho espada de matar dragão,
Dizem eles. Tem mesmo, dirão
Quem vir umas das namoradas.

Azar de quem diz e não provou
As que o Jorge aqui abençoou,
Pois elas curtiram as espadadas.

Francisco Libânio,
23/04/13, 12:39 PM
Postar um comentário