sexta-feira, 26 de abril de 2013

991 - soneto simplinho

Acorde, sorria para o sol...

Às vezes, a gente levanta cheio
De planos, hoje tudo dará certo,
O dia não vai ter nada de aperto,
Vou afastar tudo o que for feio.

O que for negativo saia do meio
Do caminho. O peito está aberto
Para o júbilo e somente o acerto
É o que se almeja como recheio

Da vida. Nem vê, quando acorda,
O sujeito, a felicidade, e da gorda,
Que é esse simples abrir de olho.

A alegria que é acordar com vida
Após uma noite em paz e dormida.
Sucesso, paz e mais são restolho.

Francisco Libânio,
26/04/13, 11:24 AM
Postar um comentário