domingo, 21 de abril de 2013

973 - Soneto humanista

Demorou, mas a Justiça se fez. Não é porque é bandido que merece ser morto covardemente.

Entre restabelecer a ordem
E ir matando, tipo genocídio,
Difere muito. Não há subsídio
Nem nada que os acordem.

Que se corrija uma desordem,
Ou que se concilie um dissídio,
A polícia deve, mas homicídio,
Covardia ou que transbordem

Corpos e sangue das celas,
Isso não! Ficam as balelas
Que bandido bom é morto

E os policiais são coitados.
Foram é bem condenados,
Às famílias o justo conforto.

Francisco Libânio,
21/04/13, 2:41 PM
Postar um comentário