terça-feira, 9 de abril de 2013

918 - Soneto da rima que abafa

Garrafa, gafa, Josefa, Fifa... Aff! 

Rimar com afa, isso engarrafa
Tudo, precisa rebolar. Com efa,
Exige uma academia tal tarefa!
Então vamos! Na nossa tarrafa

Uma rima aqui ou ali nos safa.
Aparentemente, uma nos blefa,
Mas não nos tira da obra-chefa
Ainda que nos dê muita estafa.

Nos tercetos tudo se espatifa.
Cai, mas com classe de califa,
Levanta e encara com galhofa

A dificuldade que tanto se lufa
À empreitada, mas como trufa,
Ela nos delicia e só nos estofa.

Francisco Libânio,
09/04/13, 6:16 PM
Postar um comentário