sexta-feira, 5 de abril de 2013

897 - Soneto atomatado

Breve numa H.Stern perto de você!

Tomate custando os olhos da cara,
Custando too much e assim permite
O trocadilho infame. Não se admite
É um tomate que mais se equipara

A ouro, a petróleo. O preço dispara,
O valor voa a não achar mais limite.
Molho ao sugo virou coisa pra elite
E a especulação agrícola fica clara.

Hoje é o tomate, amanhã é a alface,
Depois a laranja e depois o impasse.
Quem produz quer ganhar pelo labor.

E é justo. Deve ganhar e ganhar bem,
Pois deve cuidar da horta e também
Passar veneno no tal do atravessador.

Francisco Libânio,
05/04/13, 9:51 AM
Postar um comentário