sexta-feira, 5 de abril de 2013

896 - Soneto para uma manhã chuvosa

Levantar? Tem certeza?

Acordar e ouvir a chuva lá fora...
Não há o que transmita mais paz.
Chuvinha fina, espera-se fugaz,
Mas não é, e fina ela bem demora

E num conchavo com a aliciadora
Cama, você, que saiu, volta atrás,
Quer viver o dia, mas soa incapaz.
Chuva e cama são uma sedutora

Combinação. Mas vence e levanta!
Deixa pra trás travesseiro e manta,
A chuva, São Pedro logo desligará.

O dia começa e a chuva o atrapalha.
Nada que se tenta fazer bem calha.
Minha caminha. Quero voltar pra lá!

Francisco Libânio,
05/04/13, 9:25 AM
Postar um comentário