quinta-feira, 4 de abril de 2013

893 - Soneto da pipa de Franklin

Ó as ideia do maluco!

Tanto dia legal pra se soltar pipa,
E o cara me faz num dia de chuva!
Querendo ser o novo mandachuva
Da ciência, Franklin, nem aí se gripa

Se tem pneumonia ou se constipa,
Vai lá fora. Uma chave o coadjuva
E tocando nela quase que enviúva
Sua esposa. A energia se dissipa

Da chave ao Franklin num toque,
É aquilo que chamamos choque,
E ele, por pouco, não vira carvão.

Mas, agora se sabe, a eletricidade
Vai pela água. Aprende a verdade:
Não solta pipa com chuva e trovão.

Francisco Libânio,
04/04/13, 12:42 PM
Postar um comentário