terça-feira, 2 de abril de 2013

881 - Soneto da ditadura gay

Ditadura, mas sem esse rosa, que é muito out, muito pãozinho de ontem.

De tudo que é escabrosidade,
De toda falácia em argumento
Que vai e voa a qualquer vento
Louco de uma tal religiosidade

É chamar a busca de igualdade
De ditadura gay. Um momento!
Ao se opor, vá ao enfrentamento,
Mas com argumento de verdade!

Ditadura gay é ilusão. Não existe!
Mal chega a ser péssimo chiste
De quem vê em tudo vil apologia.

De qualquer forma, o que bem sei
É que prefiro a alegre ditadura gay
A qualquer que seja triste teocracia.

Francisco Libânio,
02/04/13, 8:54 AM
Postar um comentário