segunda-feira, 1 de abril de 2013

879 - Soneto da ditabranda

Taí uma turma que entende de democracia e sumiu com os que não entendia. Se não voltaram pra casa não foi culpa desses senhores.

Há por aí quem diga que a Ditadura
Militar não foi o diabo que se pinta.
Que não matou e só bateu de cinta
Enquanto em Cuba tinha mais agrura,

Mais cana, mais morte, mais tortura...
Aqui no Brasil, a coisa fiava distinta.
Claro, há a estatística que desminta,
Mas quem defende essa tal loucura

Nem Ditadura a chama. É Ditabranda.
Uma ou outra, qualquer foi nefanda
Seja em Cuba, no Chile ou no Brasil.

Mas se ser menos violenta justifica
E em grau de porradaria as classifica
Volte junto com os seus para o covil.

Francisco Libânio,
01/04/013, 4:14 PM
Postar um comentário