terça-feira, 31 de dezembro de 2013

1394 - Soneto aos anti-humanistas

direitos humanos pra humanos direitos. quem pensa assim já é humano errado.

Pessoa ouve de Direitos Humanos
E eivada de pleníssima ignorância
Com necessidade de saciar a ânsia
Chama isso de Direito dos Manos.

O sujeito usa argumentos levianos
Ensimesmados em total arrogância,
Mostrando o quanto quer distância
De gente pobre. Ama os milicianos,

Tão bandidos quanto os traficantes,
Mais irracionais e mais beligerantes
Porque com eles só humano direito

Tem direito e bandido, esse preso,
Merece chibata. Já a ele, é defeso
Tocar. Querer prendê-lo é despeito.

Francisco Libânio,
29/12/13, 1:52 PM
Postar um comentário