quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

1370 - Soneto aos poetas como eu

Poetas poetando atrás de sucesso.

Pensa a gente escrevendo e rimando,
Soneteando amores e bem besteiras
Ou nem rimando e com as primeiras
Palavras e nos pondo no comando

Da poesia. O anonimato soa brando,
A Internet acomoda as brincadeiras
Que fazemos soltando das coleiras
E nos espalhando por ela em bando.

Os poetas como eu nesse anonimato
Somos vistos pais de verso barato
E uns dizem, nunca seremos imortais.

A Academia que perde se isso for.
A Internet continua nossa sede-mor
E teremos respeito entre nós, iguais.

Francisco Libânio,
22/12/13, 12:35 PM
Postar um comentário