domingo, 8 de dezembro de 2013

1328 - Soneto aos incultos orgulhosos

Uma pessoa dessas me dá pena.

Eu não entendo como não ter cultura,
Viver numa escuridão quase absoluta
Em que nada se vê e nem se escuta
E muito menos se dá para uma leitura,

Como alguém nessa situação dura
Se regozija na decisão já resoluta
De dar ao livro a frieza mais bruta
E a si mesmo a irrestrita e segura

Felicidade. Desculpe, não entendo.
E sigo assim me fartando e lendo,
Mesmo sem sacar a tão obscena

Preferência pela vazia ignorância.
Odiar? Sentir asco? Alguma ânsia?
Nada. Desse tipo sinto muita pena.

 Francisco Libânio,
26/11/13, 1:10 PM
Postar um comentário