sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

1373 - Soneto aos bens intencionados

Tem que ir além. E sem maldade.

Se o inferno estiver mesmo cheio
De boa intenção, vê quem a teve,
Repensa o caso todo e reescreve
A história e fácil que eu remedeio

A situação toda. Quem fez o feio
Fazendo o bem tem o crime leve,
Curta no inferno uma estadia leve
E volte ao convívio sem ter receio,

Mas se a boa intenção tiver oculto
Em si o mal e quer dela um indulto,
Entrega esse safado pessoalmente

Ao capeta, isso não é boa intenção,
É calhordice, uma humana invenção,
Que fique lá no inferno eternamente.

Francisco Libânio,
23/12/13, 11:13 AM
Postar um comentário