domingo, 15 de dezembro de 2013

1340 - Soneto aos redundantes

Entrando pra dentro com classe.

Quem entra pra dentro sai pra fora.
E quem sai pra fora sobe pra cima
E pode até ajudar o poeta na rima,
Mas só ajuda nessa rima já e agora.

O pequeno detalhe da fala arvora
Na pompa tal joia que pouco lima
Pois é falsa, repetida, sem estima
E cai pra baixo e muito estertora

A poesia, que era pra ser o primor
E nada mais é que o embuste-mor
De quem julga domar nosso idioma.

Tem palavra que ela só se basta.
Outra que a sublinhe mais a agasta
E põe feia a peça que ela engoma.

Francisco Libânio,
13/12/13, 10:39 AM
Postar um comentário