terça-feira, 24 de dezembro de 2013

1363 - Soneto aos tímidos

É um negócio complicado. Deixa eu acostumar.

Se vê uma mulher, você se acanha,
Se retrai, se arma e fica total na sua,
Se ela vem até você, parte se amua,
Parte quer correr e parte se estranha.

Se ela já se entrega ou se põe ganha
E carrega para o quarto e lá fica nua,
Você treme com o que logo se efetua,
Mas enfrenta. Dizem que é tudo manha,

Conversa para agarrar mulher ou doce,
Timidez de mentira. Pois, antes fosse
E se deu certo não foi conta da timidez!

O poeta, um tímido assumido contumaz,
Escreve e em cada soneto que ele faz,
Seu lado tímido pensa na mulher da vez.

Francisco Libânio,
20//12/13, 3:15 PM
Postar um comentário