domingo, 31 de março de 2013

868 - Soneto do beijo oferecido

Nunca vem sozinho...

Prepara a boca e ela oferece
Um beijo gratuito. Desconfia.
Um beijo a ser o prato do dia
É estranho. Ao menos parece.

A boca doadora de beijo tece
Alguma trama e mais ela afia
A língua que dará a cortesia,
Mais ela induz a si o interesse

Certamente, a boca pedida,
Se aquiescer a essa investida
Terá que pagar o beijo dado.

E já negado o beijo oferecido,
A oferecedora arquiva o pedido
Não sem taxar o outro de veado.

Francisco Libânio,
30/03/13, 6:02 PM
Postar um comentário