domingo, 3 de março de 2013

785 - Soneto que ama uma mulher gorda

Muito gata a mocinha!

E quem fala, denigre a mulher mais cheia,
Mais rotunda, com alguns quilinho a mais...
Pobre pessoa! Diz lá bobagens colossais,
Velhos ditados cita e depois parafraseia

Músicas e mais: Repete bobagem alheia
Com a boca cheia. Leio e lamento demais.
Não pega a gostosa dos sonhos e jamais
Pegará a gordinha gostosa. Seria areia

Demais para o pobre jegue em que monta,
Por que nem caminhãozinho ele dá conta.
E uma gordinha, para ele, é louro imerecido.

Quanto a mim, que gosto, aplaudo, desejo,
Se uma me agrada, chego e já a cortejo
Vai que de tanto pedir, Deus deu ouvido...

Francisco Libânio,
03/03/13, 9:54 AM
Postar um comentário