sexta-feira, 22 de março de 2013

833 - Soneto anônimo

Um movimento meio mascarado esse...

Vejo esses caras mascarados e penso:
Essa revolta atabalhoada sem direção,
O que eles querem? Cartaz? A atração
Do dia? Criar negócio inutilmente tenso?

Vejo-os protestando contra. Cadê senso?
Indignado também sou, mas há a situação,
Há culpados e alvos da minha indignação.
Ser contra por ser somente? Eu dispenso.

Ser acomodado e ser levado pelo que há
É inadmissível. Só a luta do povo mudará,
Mas também precisa saber quem é inimigo,

Quem está do lado. Bater indistintamente
Não é ser rebelde, é apenas ser o doente
Que olhar e quer que olhem o seu umbigo.

Francisco Libânio,
22/03/13, 8:58 PM
Postar um comentário