sábado, 2 de março de 2013

784 - Soneto que ama uma mulher peituda

Não sei como não se gosta.

Mas afinal de contas, o que são os seios?
Além da finalidade natural da maternidade,
Qual escopo, função deles, na realidade?
Creio que servir às vaidades, aos recreios

E às perversões. A vaidade põe recheios,
Os recreios olham, é da outra a finalidade,
E as perversões encetam neles a maldade
Desejando praticá-la de todos os meios.

Não vejo dessas formas, absolutamente!
Quem gosta deles contempla a presente
Beleza que há neles, seja ou não, natural.

Assim, os seios femininos, qual tamanho
For, agradam. Se isso ainda soa estranho,
Lamento. Algo por aí está bastante mal.

Francisco Libânio,
02/03/13, 4:46 PM
Postar um comentário