quinta-feira, 21 de março de 2013

829 - Soneto do último primeiro beijo

Pra ser inesquecível

De tantos que já dei e já ganhei, esse
Beijo, que nem foi entre eles o melhor,
Mas dado sinceramente, com tal calor
Que mesmo que eu não aquiescesse,

Recusasse e brigasse e me opusesse,
Certamente eu daria a falta. O frescor
Da boca não veio para mim com amor,
Desejo ou intenção, mas sua benesse

Foi simplesmente essa. Sem os orais,
Disse: Depois de mim nenhum mais!
Legal então. Se você falou, tá falado!

Maldito beijo sem nenhuma intenção,
Inocente até, mas que deixou menção.
Agora soneteio como um apaixonado.

Francisco Libânio,
21/03/13, 1:39 PM
Postar um comentário