quarta-feira, 13 de março de 2013

805 - Soneto de fumaça preta

Ainda não tinha sido

Daí a votação vaticana, sem vencedor,
Sem papa, sem decisão dos cardeais
Foi anunciada aos fiéis e aos demais
Com a fumaça ao céu cheia de negror.

O claustro dos cardeais causa furor.
Como são esses papos confidenciais,
Essa votação de segredos eleitorais
Atiça a vontade de ser um espectador

In loco. Segredo, coisa mais maçom,
E a gente aqui esperando algum bom
Sinal a vir daquela fofoqueira chaminé.

Quer saber? Eu acho que ela já sabe
E antes mesmo que o conclave acabe
Se tem um papa, ela já sabe quem é.

Francisco Libânio,
13/03/13, 10:30 AM
Postar um comentário