sexta-feira, 29 de março de 2013

863 - Soneto sem carne

Foi perfeito.

Mas se formos falar saudavelmente,
A sexta-feira santa vem bem e alivia
O estômago da glutonice que avaria
A saúde para o bel-prazer do vivente.

Este carnívoro contumaz e consciente
A sexta-santa não prefere ou aprecia
Só que, também, não vai mal jurar o dia
Por não ter um bife à mesa presente.

Carne também é a tal da carne branca,
Mais leve que à sua maneira estanca
A tal sanha carnívora desse sonetista

(Que nem é tanta assim, diga a verdade).
Como bacalhau não lhe faz a vontade,
Uma sardinha é banquete de hedonista.

Francisco Libânio,
29/03/13, 10:01 AM
Postar um comentário