segunda-feira, 18 de março de 2013

820 - Soneto hipocondríaco

Come, come, come..

A doença que não existe aflora
Quando um quer é ficar doente,
Leva uma doença até à mente
E é sempre coisa avassaladora,

Doença que vem e logo devora
Se não for tratada como urgente.
Não há nada, mas o corpo sente
E procura logo alguma melhora.

Não sofro disso, mas tem vez,
Que um negocinho, uma palidez
Aparecem. Aí, não é a paranoia,

Mas preocupaçãozinha, rotina,
Coisa boba que a auto-medicina
Cuida com uma pequena tipoia.

Francisco Libânio,
18/03/13, 12:53 PM
Postar um comentário