terça-feira, 26 de março de 2013

850 - Soneto sem certeza

Eu te adoro, meu amor, mas... Sei lá.

Gostar a gente gosta, dedicação se dá!
Adorar a gente adora, amar a gente ama,
Só que tudo isso me desperta tal chama
Que, no descontrole, quem a controlará?

A gente se imagina na cama. Uma vez lá,
Nem sempre acontece como é na trama
Imaginado. Ela aceita, mas pra si reclama
Meu não prometido. Mas afinal, o que há?

Gosto dela e a ela dedico todo o carinho
Que dedico a uma mulher, mas me aninho
Nos braços dela e alguma coisa ali falta.

O tesão não é. Tenho por ela até demais.
Sentimentos também. Sinto mais e mais.
Mas se eu a vejo, algo de mim logo salta.

Francisco Libânio,
26/03/13, 7:43 PM

Postar um comentário