quinta-feira, 28 de março de 2013

860 - Soneto democrático-ditatorial

Eu me manifesto e sou preso. Quer coisa mais democrática que isso?

Na casa dos representantes do povo,
Feliciano fala. Na verdade, ele tenta.
Mas o povo, ao qual ele representa,
Logo o cala. Feliciano tenta de novo,

Outra vez a galera manda-o ao ovo,
Manda-o à merda e ele não aguenta.
Deputado, com o poder que ostenta,
Manda prender o povo. Desaprovo!

E ainda apela e se diz democrático!
Além de ser homofóbico antipático,
Ele se faz democraticamente tirano.

Pois prender quem opinião manifesta
E dizer que é democracia, na testa
O nome de ditador do pior, o insano.

Francisco Libânio,
28/03/13, 1:34 PM
Postar um comentário