sábado, 2 de março de 2013

783 - Soneto que ama uma mulher bunduda

É linda, mas não é só isso.

Sujeito que curte uma bunda bem acabada
Certamente não faria uma poesia sobre ela.
Pensaria em tirar logo o short a escondê-la,
A beijar muito, passar sua mão toda tarada

E depois, meteria fim em toda a frescurada
Metendo uma pentada violenta ali a comê-la.
Sujeito que curte uma bunda dá a chancela
De qualidade se a dita cuja for da apertada.

Da minha parte, não sou de dispensar uma
Que me faça agrado do tipo que se avoluma
Enchendo minhas mãos na hora da carícia,

Mas uma bunda merece minha admiração,
Algum elogio e tributo carnal, por que não?
Mas sem se fixar nela ou despejar malícia.

Francisco Libânio,
02/03/13, 9:26 AM
Postar um comentário