terça-feira, 5 de março de 2013

787 - Soneto destitulado

Soneto sem título, figura casual...

Não que escrever sonetos seja problema.
Sonetear é um prazer, quase uma terapia,
Mas se a inspiração em versos se desfia,
Mais dificuldade ela tem quando um tema

Se faz preciso achar. Pinta aquele dilema.
Sobre o que escrever? Que me traz o dia?
Até que se ache me recuso a fazer poesia.
Eu sei, parar por falta de título é extrema

Mesquinharia, mas taí um certo capricho.
Soneto sem título, esse bobo enrabicho.
Me impede de escrever. É a minha trava.

Tipo esse soneto escrevo. Nome não tem,
Mas vai saindo. Pode ser que fique sem,
Mando, assim, meu entrave para a fava.

Francisco Libânio,
05/03/13, 6:16 PM
Postar um comentário