segunda-feira, 31 de março de 2014

1577 - Soneto do avestruz

Essa câmera parece gostosa, dá um pedaço?

O avestruz não perdoava nada,
Seu menu era eclético. Ia tudo;
Desde o mais prosaico canudo
Até uma peça mais requintada.

Dor de estômago era revisitada,
Algo sempre lhe doía mais agudo,
Mas o médico indicou, contudo.
A dieta assim, mais balanceada.

O avestruz, guloso, mas prudente,
Resolveu se comer decentemente
Para dar ao estômago descanso.

Seguindo ao pé da letra deu ruim.
O avestruz encontrou o triste fim
Ao balancear rango com balanço.

Francisco Libânio,
29/03/14, 8:49 AM
Postar um comentário