quinta-feira, 13 de março de 2014

1546 - Soneto do tico-tico

Sou famoso, durmam com isso.

Graças àquela música famosa,
O tico-tico, se visto, de presente,
Já ganhava um belo recipiente
Com fubá da passarada prosa.

Ele não se irritava. Era honrosa
A homenagem. Ele, eternamente,
Seria lembrado. Já a persistente
Piada, a turma acha que o goza,

Mas a gozação sai pela culatra.
A patota não sabe, mas idolatra
O passarinho aqui, dizia metido.

Na verdade, a homenagem, veja
Só, era uma indisfarçável inveja
De quem a música pôs esquecido.

Francisco Libânio,
12/03/14, 11:02 AM
Postar um comentário