sexta-feira, 14 de março de 2014

1547 - Soneto do pardal

O que importa é a beleza interior.

O pardal olhava o cardeal,
Plumagem linda, chamativa,
Penugem vermelha e viva
E se olhava e via um pardal:

Feinho, sem um diferencial,
Sem canto sem pose altiva,
Sem a característica cativa
Da passarinhada. Ficou mal,

Deprimido, voou pra distante,
Sumiu, mas voltou confiante.
Não era bonito, isso ele sabia,

E daí? Ficar triste não ajuda
Nem deixa bonito, não muda.
Melhor ser feio com alegria.

Francisco Libânio,
12/03/14, 11:53 AM
Postar um comentário