domingo, 9 de março de 2014

1538 - Soneto do tamanduá-bandeira

Vem aqui me abraçar...

O tamanduá era, sim, um bicho legal,
De bom papo, extrovertido, agradável;
Inteligente, simpático, muito confiável;
Mas com tanta coisa boa tinha um mal:

Mal este que o deixava em situação tal
Que acabava em algo tão insuperável
Que bicho algum aceitava o mais afável
Gesto de carinho, uma gentileza banal

Que é um abraço cativante e bem dado.
Se o tamanduá oferece, sai-se de lado,
Fala da dor nas costas ou outro papo.

São prudentes os amigos do tamanduá,
Sabem que amigos como ele poucos há,
Mas um abraço... Haja cicatriz e esparadrapo.

Francisco Libânio,
07/03/14, 12:221 PM
Postar um comentário