sexta-feira, 7 de março de 2014

1533 - Soneto da paca

Seguro morreu de velho.

A paca, pequena, sabia do perigo
Que era para alguém do tamanho.
Ligada em qualquer algo estranho,
Num átimo já estava em seu abrigo.

A paca bem sabia qual o castigo
Se ela não preparasse de antanho
Defesa e atenção. Tanto assanho
Punha um dia longe o seu jazigo

Qual o almoço de algum predador
Que fosse mais esperto. O suor
Valia a pena, pois, tão precavida,

A paca driblava a onça e a sucuri,
Vivia a noite, ia aqui como ia ali
E curtia como protegia sua vida.

Francisco Libânio,
05/03/14, 8:37 AM
Postar um comentário