terça-feira, 18 de março de 2014

1555 - Soneto da seriema

Mas com elegância e um penacho chique.

A seriema queria ser bonita
Também queria cantar bem,
Queria impressionar alguém,
Mas sabia que é sua desdita

Ser feinha, um tanto esquisita,
E cantar mal. Agradar a quem?
Qual será o louco que se detém
A ver e ouvir uma ave que grita

E não canta e que não tem cor
Chamativa? Vinha o dissabor,
Mas tinha também um orgulho

Em ser ela mesma. Se não era
Modelo ou cantora, era sincera
E transparente no seu barulho.

Francisco Libânio,
15/03/14, 12:50 PM
Postar um comentário