domingo, 23 de março de 2014

1563 - Soneto da raposa

É... estão verdes mesmo.

A raposa, esperta e fagueira,
Sabia sair de uma enrascada
Como sabia arrumar roubada
Tirando ponto com a bobeira

Alheia. E vivia assim matreira,
O que emputecia a bicharada
Pata com essa bem articulada
Vivaldina. Mas a brincadeira

Das uvas, qual contou Esopo,
Tinha como principal escopo
Devolver todas as artimanhas

Da raposa. Deram a fazer cair
Do pé as uvas e vê-la cuspir
O sabor e todas suas manhas.

Francisco Libânio,
20/03/14, 4: 37 PM
Postar um comentário