sexta-feira, 14 de março de 2014

1548 - Soneto do uirapuru

Prefiro ouvir, cantem vocês que depois eu canto.

Duas características do uirapuru:
O belo canto e a enorme timidez.
Por isso, a cantar ele passa a vez
A outro. Canta a sabiá, até o anu;

Canta o cardeal, cantaria o tuiuiú
Se fosse de cantar. Toda maciez
Canora. Às vezes falta a polidez,
Mas fica bonito todo esse sururu

Cantante e quando tudo se cala,
O uirapuru fecha com tanta gala
O recital que cantar mais pra quê?

Todos admiram toda essa doçura
Do uirapuru. Ele recobra a postura,
Agradece, se cala e de novo só vê.

Francisco Libânio,
13/03/14, 9:33 AM
Postar um comentário