terça-feira, 18 de março de 2014

1556 - Soneto do carcará

Sou foda!

O carcará, tido de valentão,
O que pega, mata e come,
Bem curtia esse cognome
E bem assim era a atuação

Dele pra resolver questão.
A música valorizava o nome,
Dificilmente cederia à fome,
O bicho era, mesmo, durão.

E ele nem é assim grande,
Mas no céu ele se expande
Mostrando que documento

Não é tamanho, imponência,
Mas fazer valer a excelência
Usando seu próprio talento.

Francisco Libânio,
16/03/14, 12:06 PM
Postar um comentário