quinta-feira, 13 de março de 2014

1545 - Soneto do bem-te-vi

Só tô vendo...

O bem-te-vi era maroto e matreiro,
Ficava lá nas árvores, só na espia,
E se algo meio suspeito ou putaria
Passava, já piava pro mundo inteiro.

Viu? E daí? Você não foi o primeiro,
Disse um cujo flagra o constrangia.
Você tem provas? Filmou o que via?
Perguntava outro a fim de salseiro.

O bem-te-vi, de fofoqueiro acusado,
Defendeu-se: Não faço nada errado,
Fico vendo a vida e acaso acontece

Algo, eu vejo e falo mesmo. Não faz
Que vou ver a vida e deixar em paz,
Mas é eu ver e a culpa dele já aparece...

Francisco Libânio,
11/03/14, 1:36 PM
Postar um comentário