sábado, 23 de novembro de 2013

Pode haver uma outra mulher

Não deixo você por uma dessas nem a pau.

Pode haver uma outra mulher,
Mais bonita, mais interessante,
A musa que há tantos encante,
A deusa que inspire tal prazer

E tamanho sonho de envolver
Que o homem se põe diante
De um dilema tão conflitante
Que do todo ele irá esquecer.

Pode haver a mulher perfeita,
Ideal e que facilmente aceita
A corte e assim destrói a vida

Do homem. Pode haver, haja,
Pois! Seja a mulher uma naja
Que não trairei minha querida.

Francisco Libânio,
15/11/13, 10:25 PM
Postar um comentário