segunda-feira, 18 de novembro de 2013

1287 - Soneto molhado-lírico

Num dia quente, nada melhor...

A manhã é quente, quem aguenta?
É preciso dar uma baixada no calor,
A refrescada para que seja melhor
Não só a manhã, o dia que ostenta

Um sol pra cada um, uns quarenta
Graus por cima. O banho salvador
Vem bem. A água inspira o cantor
Que sozinho e fresco se apresenta.

Canta e explora seu íntimo talento.
Acaba o show. Na rua, cadê vento?
Há apenas o Sol a crispar no céu.

E La Donna é Mobile com sucesso
No chuveiro, o dia cobra seu preço
Pedindo pra si um Highway to Hell.

Francisco Libânio,
14/11/13, 8:37 AM
Postar um comentário