domingo, 17 de novembro de 2013

1285 - Soneto segredado

Francisco? Que Francisco?

Esse negócio de contar segredo
E pedir que assim se mantenha
É quase como liberar uma senha
Para que a notícia e seu enredo

Virem domínio público. O medo
De que o oculto não se detenha
Abre uma porta a deixar prenha
Toda a curiosidade. O degredo

Da notícia sabida antes por um
Sabida a transforma no zunzum
E a bobagem vira uma tragédia.

Esse soneto era secreto e o abri.
Agora, sabido, ele correrá por aí
De obra prima virou classe média.

Francisco Libânio,
13/11/13, 8:04 AM
Postar um comentário