quinta-feira, 7 de novembro de 2013

1268 - Soneto todo certinho

Disfarça e olha pro outro lado que ela tá olhando.

Mas andar com os peitos de fora,
Em qual realidade se permitia isso?
Mais que haja aí descompromisso,
Pegação e a luxúria por aí vigora,

Onde, que situação tão redentora
Não faria um pecado eterno disso?
Ou armaria mais moralista rebuliço?
Isso nunca aconteceria nesse agora,

Num mundo tão dado a moralizante
Que vê uma aberração por instante
Enquanto se ocupa ao ser o imoral.

Mas a mulher do peito nu, já se foi,
Toda tímida e sequer me deu um oi
E eu aqui ainda falo sobre essa tal.

Francisco Libânio,
06/11/13, 12:09 PM
Postar um comentário