terça-feira, 26 de novembro de 2013

1303 - Soneto aos amigos

Acima de tudo.

Meus amigos são pessoas especiais
E eles não valem nem todo o dinheiro
Do mundo e eu. que sou todo, inteiro
Amigo, acho que eles valem bem mais

Que dinheiro, ouro como os metais
De valor. Mesmo aquele mexeriqueiro,
Aquele xarope, aquele mais matreiro
Que te queima a vida junto aos demais.

Meus amigos podem não valer nada,
Mas se concordar, entra na porrada,
Eu posso achar isso, mais ninguém.

E assim, mando esse filho de belzebu
À merda e ele me manda tomar no cu
E seguimos amigos e está tudo bem.

Francisco Libânio,
18/11/13, 7:45 PM
Postar um comentário